Você sabia que Albert Einstein já visitou o Brasil?

Por Francisco Sassi- 15/07/2020

Isso mesmo, o Nobel em física Albert Einstein (1879 – 1955), que desenvolveu a famosa teoria da relatividade geral e a fórmula de equivalência massa-energia (E=mc²) esteve em nosso país em maio de 1925 e ficou uma semana por aqui. Nesta viagem, apresentou algumas conferências sobre seu trabalho, encontrando-se também diversas personalidades políticas e científicas da época, como o presidente Arthur Bernardes, Manoel Amoroso Costa e Roberto Marinho de Azevedo, ambos professores da Escola Politécnica e membros da Academia Brasileira de Ciências, e o médico-sanitarista Carlos Chagas (ao lado do físico na foto abaixo), que descobriu o protozoário Trypanossoma cruzi causador da Doença de Chagas.

y1pneow2l_ckvmxjrag9mvyto66gd4usqjyjbocx

   Einstein naquela época estava viajando por diversos países para disseminar suas ideias sobre a relatividade geral. Contudo ao chegar ao Brasil, teve uma recepção calorosa por parte de curiosos no porto do Rio de Janeiro, na época, capital do Brasil. Sua primeira conferência lotou os salões do Clube de Engenharia do Rio de Janeiro, mesmo falando em Alemão para o público brasileiro. Em seu diário, Einstein descreveu a conferência: “Às 4 horas, a primeira conferência no Clube de Engenharia numa sala superlotada, com ruído da rua, as janelas abertas. Não tinha nenhuma acústica para que me entendessem. Pouco científico”. No dia seguinte, o físico visitou a Academia Brasileira de Ciências e, no terceiro dia, Einstein foi à Escola Politécnica, onde fez uma palestra mais reservada e direta para seus colegas cientistas. 
   Contudo, a passagem de Einstein pelo Brasil também foi motivada por um outro fenômeno. No dia 29 de maio de 1919 um eclipse solar aconteceu, sendo visto em algumas partes do mundo. Entre esses lugares estava a pacata cidade de Sobral, no Ceará. Esse eclipse foi observado ao mesmo tempo por expedições britânicas que foram enviadas a Sobral e a uma ilha africana chamada Ilha do Príncipe. Graças as fotografias registradas em Sobral, Einstein pode comprovar sua Teoria da Relatividade Geral, contrariando a ideia do cientista Isaac Newton. Einstein afirmava que a massa dos corpos deformava o espaço ao seu redor, então a luz emitida por um astro, ao passar por essa deformação, não seria uma linha reta. Essa hipótese seria testada com um eclipse solar total, que aconteceu por 5 minutos. Em volta do sol foram observadas 12 estrelas, que normalmente ficariam ofuscadas pelo brilho do sol. Na ilha africana, 6 delas foram registradas. Mais de 3 mil peças, como documentos e instrumentos utilizados nessa observação podem ser encontrados no Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), no Rio de Janeiro.