homem-aranha-thor.jpg

Aranha-Thor ou Aranha-Loki ?

Aranha-Thor ou Aranha-Loki ?

Por Marcus Duarte e Larissa Moreira - 30 de julho de 2019.

    Muitas vezes em uma história em quadrinhos, os heróis e vilões são bem definidos, e conhecidos, mas ainda assim, neste universo pré-criado existem aqueles personagens que são geralmente incompreendidos ou que se perdem no papel de mocinho e malvado. O mesmo acontece no nosso dia-a-dia com alguns personagens bem marcantes e presentes em nossas histórias: as Aranhas !!!

   Você alguma vez já olhou nos olhos dessas pequenas criaturinhas e tentou compreender o papel delas nesse grande filme de super-heróis ? Ou simplesmente as viu e saiu correndo, gritando por socorro para o Super-Man… Opa! Universo errado... Quer dizer, para o homem de ferro, deixando sua casa, carro e dinheiro pra elas, ou até fugindo para outro país hahaha!

   Pois é isso o que acontece diariamente com as aranhas. Elas são sempre vistas como um super-vilão venenoso, ardiloso e traiçoeiro, que a qualquer momento vai atacar com seu veneno mortal e incurável, tirando sua vida em questões de segundos. Porém, nem todas são tão malvadas assim. Aliás, a maioria delas são apenas mal compreendidas e vítimas de preconceito, principalmente aquelas que são grandes e peludas: as migalomorfas.

   Mais popularmente conhecidas como caranguejeiras, as migalomorfas na verdade são praticamente inofensivas, com veneno mais fraco que uma abelha, o qual geralmente causa somente dor e vermelhidão local e, em casos mais graves, cãibras musculares. Além disso,  elas tem um comportamento bem dócil, procurando muitas vezes fugir antes de confrontar.

   O mais perigoso nessas aranhas são suas micro-cerdas, que em casos mais extremos são liberados no ar ao se defender a partir do esfregamento das pernas mais posteriores em seu abdômen. Estas cerdas funcionam como cacos de vidros  microscópicos, causando cortes minúsculos onde tocam e levando a fortes irritações locais. Mas vale lembrar que esse super-poder é utilizado apenas para defesa e em casos extremos. Ou seja, é só não mexer com essa gigante dócil que não vai se arrepender!

   Além das caranguejeiras, outras muitas aranhas são vistas como malvadas, mas na verdade são heroínas secretas que salvam o dia sem que eu, você ou qualquer outra pessoa perceba,. Essas características são muito semelhantes à heroína viúva-negra (curiosamente seu apelido é vindo do nome de uma aranha), que realiza missões secretas da Shield e salva as pessoas sem necessariamente que elas saibam. Dentre as ações heróicas feitas diariamente por elas, podemos citar o controle de pragas (baratas, grilos, cupins, mosquitos), evitando que estes cheguem na sua casa ou em plantações, sendo que as aranhas fazem isso muito bem e de várias maneiras diferentes.

   A mais fácil de você perceber é olhando para cima, mais especificamente nos cantos das paredes. J reparou nas diferentes, bizarras, e, para os amantes, lindas teias que podem ser vistas nos mais diversos locais?! Pois bem, esse é um dos mais incríveis e surpreendentes super-poderes delas.

   Uma estrutura proteica (principalmente de fibrina) que quando dentro do seu corpo é líquida, mas que ao sair e ser esticada muda a conformação da proteína e se torna um fio, mais leve que algodão, com resistência maior que do aço e, ao mesmo tempo, muito maleável. Além disso, ela pode servir como um importante detector de outros animais, e também como uma poderosa armadilha grudenta que captura seus inimigos e sua comida. Esta habilidade é tão poderosa que até hoje intriga os cientistas, que tentam compreender e replicar-las para utilização em indústrias e no cotidiano.

Brilhando Aranha Webs

   Além de controlar pragas, as aranhas têm um papel crucial nas teias alimentares, corroborando para reciclagem de nutrientes e fixação destes no solo, o que ajuda no crescimento das plantas (que todos amam)  e, por consequência, auxiliando na manutenção dos mais diversos ecossistemas. Cabe ressaltar que essas pequeninas também atuam protegendo essas mesmas plantas da herbivoria excessivas de outros insetos.

   Esses são papéis ecológicos de destaque desempenhados pelas migalomorfas e demais aranhas, mas grandes heroínas zelam pela saúde de sua equipe e civis! É nessa área de pesquisas onde esses artrópodes ganham sua medalha honrosa, contribuindo de forma indireta na saúde das pessoas, pois as complexas e únicas substâncias encontradas em seu veneno são utilizadas diariamente em pesquisas para desenvolvimento de medicamentos e auxiliam no tratamento de doenças.

   Um exemplo disso é a super-heroína Macrothele raveni, nome complicado não acha?! Ela é um tipo de migalomorfa cujo veneno vem sendo utilizado em pesquisas contra a leucemia mielóide, um tipo raro de câncer que atinge principalmente glóbulos brancos do sangue,  levando a problemas no sistema imunológico.

  Mas como nem todo grupo é composto exclusivamente de heróis, existem aquelas aranhas que são realmente perigosas para gente e com essa nós devemos ter cuidado! Contudo, apesar de não serem boas heroínas, elas também não são completamente impiedosas e carrascas! Na verdade, só agem de maneira maléfica quando são inicialmente atacadas ou incomodadas em seus covis do mal.

   Segue abaixo uma pequena lista das malfeitoras que podem ser encontradas no Brasil:

Aranha Armadeira (Phoneutria sp.)

   Essas são as mais impiedosas e maléficas dessa lista, pois além de seu veneno altamente perigoso, elas são extremamente mal humoradas e agressivas, atacando rapidamente e até saltando em sua direção para picar caso não vá com a sua cara. É muito fácil identificá-las. São relativamente grandes, atingindo até 15 cm de envergadura e possuem 8 olhos em fileiras de 2-4-2 (Figura 2).

   Porém, como você não vai querer ficar olhando nos olhos dessa vilã, pode observar outras características, as quais não estão em todas mas você verá na maioria das vezes, como suas pernas geralmente com listras pretas e brancas e manchas acinzentadas no abdômen com formato parecido com o de corações. Porém, cuidado! Não vá se encantar muito com esses corações, pois seu principal poder é um beijo doloroso e às vezes mortal.

 Veneno: Seu veneno é neurotóxico periférico e age causando ativação e retardo da inativação dos canais neuronais de sódio. Mas o que diabos isso significa?! Como já dizia Thor: “Progresso é a habilidade do homem de complicar as coisas simples.” . Então, essa é só uma maneira complicada de dizer que ele age afetando nosso sistema nervoso, principalmente afetando a comunicação e muitas outras funções cognitivas.

 Sintomas da picada: Inicialmente acontece uma dor insuportável, acúmulo de líquido, vermelhidão e suor no local da picada, sendo que em alguns casos mais raros acontece também a contração involuntária dos músculos desse local.

  Esses são os sintomas iniciais, também chamados de sintomas locais, geralmente os únicos. Porém, em alguns casos mais graves, podem acontecer os sintomas sistêmicos, que incluem sudorese profunda, taquicardia e hipertensão, fraqueza, vômitos, palidez, priapismo (sintoma muito curioso da picada dessa aranha, que consiste na ereção peniana persistente e dolorosa), convulsões, diarreia, respiração com ruídos e sinais de choque.

Phoneutria-armadeira-020-L.jpg

Figura 1: A imagem acima representa a aranha Phoneutria nigriventer, em posição de “armada”, muito comum das aranhas desse gênero. Imagem retirada do site: <https://www.primalshutter.com/Portfolio/Brazilian-wandering-spider-Phoneutria/i-8qgFndD> acesso em: 30 de julho de 2019.

8438295952_7b20e59d24_o.jpg

Figura 2: A imagem apresenta uma foto da parte anterior de uma aranha do gênero Phoneutria, mostrando sua conformação dos olhos. Imagem retirada do site: <http://macrobrasil.blogspot.com/2012/09/aranhas.html> acesso em: 30 de julho de 2019.

  Vale ressaltar que mesmo não apresentando inicialmente os sintomas sistêmicos, é de extrema importância procurar ajuda médica, pois eles podem vir repentinamente de maneira acentuada, podendo levar rapidamente a pessoa a óbito.

   Tratamento: Devido a fama dessa vilã atualmente já existem soros antiveneno e um protocolo bem definido e efetivo em caso de picada, segue o procedimento a ser realizado, retirado de um protocolo clínico:

tabela 1.png

Tabela 1: Na tabela acima encontra-se presente a classificação do paciente nas categorias de acordo com os sintomas presentes e a abordagem proposta para tratamento de acordo com a categoria enquadrada. Tabela retirada do “Protocolo clínico para acidente por aranha do gênero Phoneutria – Aranha Armadeira”.

Viúva-Negra (Latrodectus sp.)

   Diferente da icônica personagem da Marvel, essa aqui está mais para anti-heroína, já que ela é neutra e tranquila na maioria das situações. Porém, caso incomodadas (principalmente quando pressionada acidentalmente já que além de ser pequena gosta de ficar escondida), realiza uma picada maldosa que causa dores alucinantes e com veneno tão mortal quanto o da grande vilã armadeira dita anteriormente.

  Sua identificação é até fácil, já que possui uma coloração preta brilhante bem chamativa e uma mancha ainda mais contrastante vermelha em seu abdômen. O que dificulta mesmo o reconhecimento é seu tamanho, muitas vezes pequeno, e sua grande capacidade de se esconder.

   Vale lembrar que dentro deste gênero de aranhas há a sua prima igualmente malvada e perigosa: as viúvas-marrons, que tem um veneno menos potente, e como o nome já diz, são amarronzadas com manchas amareladas em seu abdômen.

   Veneno: Seu veneno age de forma igual ao das aranhas armadeiras nos canais de sódio do sistema nervoso periférico.

  Sintomas: Como o veneno age de maneira igual, os sintomas apresentados, tanto locais quanto sistêmicos, são também muito semelhantes, além disso os procedimentos médicos de tratamento são praticamente idênticos aos mostrados na Tabela 1.

teia-aranha-viuva-negra.jpg

Figura 3: A imagem acima representa a aranha Latrodectus hesperus, popularmente conhecida como viúva-negra. Imagem retirada do site: <https://www.estudopratico.com.br/aranha-viuva-negra/> acesso em: 30 de julho de 2019.

viuvamarrom.jpeg

Figura 4: A imagem acima representa uma viúva-marrom retirada por Richard S. Vetter da Universidade da Califórnia. Imagem retirada do site: <http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/06/aranha-viuva-marrom-toma-o-lugar-da-viuva-negra-nos-eua-diz-estudo.html> acesso em: 29 de julho de 2019.

Aranha-Marrom (Loxosceles sp.)

   Essa é a mais tranquila e da paz dentre as vilãs citadas, sendo que só mostra seus poderes quando é pressionada. Porém, devido aos seus péssimos costumes de se esconderem no meio de roupa de cama ou dentro de calças e camisetas, além do fato delas serem amplamente distribuída pelo mundo e facilmente encontrada em casas, isso torna elas também temíveis, apesar de discretas, pois é bem fácil de acabar levando uma picada delas. São aranhas relativamente pequenas, com coloração amarronzada em quase todo o corpo, exceto no abdômen que geralmente é acinzentado.

  Veneno: Seu veneno tem ação citotóxica, ou seja, age matando células e consequentemente tecidos e órgãos do corpo.

aranha-marrom.jpg

Figura 5: A imagem acima representa uma aranha do gênero Loxosceles. Imagem retirada do site: <https://doutorshephard.wordpress.com/tag/loxosceles/> acesso em: 30 de julho de 2019. 

   Sintomas: Como muitas vezes as picadas acontecem a noite, quando ao dormir a pessoa pressiona ela contra a coberta ou contra sua roupa, e também acaba sendo praticamente indolor, inicialmente a pessoa acaba não percebendo a picada, e só vai perceber que caiu nas garras dessa vilã alguns dias após receber seu golpe. Quando começa a se formar uma grande vermelhidão na região e o centro da picada vai arroxeando-se, é nesse momento que as pessoas costumam procurar ajuda médica.

   Em casos mais graves, quando demoram para ir ao médico, ou quando o veneno age de forma mais potente, as pessoas podem ter necrose dos tecidos, formando grandes feridas locais que não cicatrizam. Por fim, em casos extremos, o veneno pode atingir órgãos vitais, causando hemorragia interna e levando a óbito.

  Tratamento: Assim como para picadas de armadeira e viúva-negra, também existem pras aranhas-marrons um protocolo médico bem definido a ser seguido, que se encontra na tabela abaixo:

pt1.png
pt2.png
teste.png

Tabela 2: Na tabela acima encontra-se presente a classificação do paciente nas categorias de acordo com os sintomas presentes e a abordagem proposta para tratamento de acordo com a categoria enquadrada. Tabela retirada do Protocolo clínico para acidente por aranha do gênero Loxosceles – Aranha-Marrom”.

   Estas são as principais representantes da vilania brasileira e vale destacar que são apenas gêneros de aranhas em um país que tem aproximadamente 661 gêneros, de acordo com o catálogo mundial de aranhas (World Catalog of Spiders).Então, você ainda acha que todas as aranhas são realmente vilãs, inimigas dos humanos que querem dominar o mundo, ou apenas heroínas mal-interpretadas por nós ? 

Bibliografia consultada:

CIT. Phoneutria - Aranha armadeira. Disponível em: <http://citnovo.hu.ufsc.br/wp-content/uploads/2017/11/Phoneutria-Aranha-armadeira-CIT.pdf>. Acesso em: 28 de outubro de 2018.

FRANCISCO, R.C. (2011). Estudo da comunidade de aranhas (ARANAE: ARACHNIDA) de solo como ferramenta de diagnóstico ambiental. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Programa de Pós-Graduação em Zoologia, Faculdade de Biociência - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Porto Alegre - RS.

KAWAMOTO, T.H. (2007). Tenacidade e investimento em seda em aranhas de teia orbicular. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.

LIU, Zhonghua; ZHAO, Yan; LI, Jing; XU, Shiyan; LIU, Changjun; ZHU, Yanghui; LIANG, Songping. (2012). The venom of the spider Macrothele raveni induces apoptosis in the myelogenous leukemia K562 cell line. Leukemia Research, Volume 36, Issue 8, 2012, Pages 1063-1066.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. (2014). Protocolo clínico para acidente por aranha do gênero Loxosceles - “Aranha Marrom”. Disponível em: <http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/Protocolosclinicosrecomendacaoparavigilancia_maio_2014.pdf>. Acesso em: 30 de julho de 2019.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. (2014). Protocolo clínico para acidente por aranha do gênero Phoneutria - “Aranha Armadeira”. Disponível em: <http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/marco/13/Protocolo-cl--nico---Acidente-por-aranha-do-g--nero-Phoneutria.pdf>. Acesso em: 30 de julho de 2019.

UFMG. A marca das aranhas. Ciência para todos. Disponível em: <https://www.ufmg.br/cienciaparatodos/wp-content/uploads/2012/08/e5_03-amarcadasaranhas.pdf>. Acesso em: 30 de julho de 2019.

WORLD SPIDER CATALOG. (2019). World Spider Catalog. Natural History Museum Bern. http://wsc.nmbe.ch. Acesso em: 13/04/2019.

Fonte da imagem do Título e Background: